#Quando o futebol deixa de ser arte,

E passa a ser vergonha.

O jogo Botafogo x Avaí foi de longe um dos mais ridículos dessa minha curta carreira de botafoguense, que por sinal, havia começado muito bem, pois quando me assumi botafoguense (nota: graças ao meu grande amigo @breno_vox)  foram 3 vitórias consecutivas…

Muita gente pode pensar que estou indignada só pelo fato do ato de covardia ter sido contra um jogador de Botafogo, mas minha raiva vai muito além disso… Time bagunçado, diretoria omissa… Tudo contribuiu pro fiasco do jogo de ontem, e claro, o juiz que inventou um tal pênalti favorecendo o Avaí, que merece uma punição homérica pela palhaçada de ontem.

Cadê o futebol arte? Cadê a paixão? Cadê a diretoria e o escambau que seja apaixonados pelo time? Ainda existe?

Um jogo que termina do modo que terminou não pode ser chamado de jogo, se fossem cavalos no campo, teria sido melhor, porque aí justificaria tamanha ignorância. E como se não fosse o bastante, nós botafoguenses ainda sofremos com a eliminação.

Temos 1 mês e 1 dia até 22 de maio, contra o Palmeiras, daqui até lá, que estejam preparados, porque a torcida estará inteira com o time, independente de tudo!

Xinguem a diretoria, o técnico, o juiz, a mãe dele… Mas não o Botafogo de Futebol e Regatas, ele é honrado e digno do nosso respeito.

E nada pode calar esse amor! Botafogo, estaremos contigo!

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

2 Respostas para “#Quando o futebol deixa de ser arte,

  1. Eu vou providenciar uma faixa (se até lá os gordinhos do Outback não tiverem saído do clube) dizendo Fora Anderson Barros. Me bateu uma certa tristeza por ter te doutrinado (a Carol também começou a torcer recentemente), mas ela é apagada facilmente quando eu vejo que você honra a estrela. Indignação, raiva, tudo isso deve ser demonstrado – quando a reação é de frieza, é porque o sentimento já não existe -. Tem gente no time que reagiu como eu mesmo reagiria. Não ouviu calado. É de certa forma grotesco aquele episódio, mas anos atrás era a pecha de chorões que existia pelos antigos jogadores demonstrarem a frustração com lágrimas. Se a reclamação parte da gente logo os aproveitadores falam em “choro”, mas eu me lixo pra quem usa esse argumento contra a clara indignação com o que acontece. A atual diretoria segue no plano de aproximação das maiores entidades (CBF, Ferj, Globo). Isso foi menos ruim por não nos roubarem ano passado e permitirem ganharmos um título regional. Mas agora que eles já tem a subserviência, aproveitam para pisar em cima novamente. Me faltaria juízo nessas horas para tentar ser dirigente. Sou grato – e sempre serei – ao Bebeto pelo que fez em 2003. Deixou uma pocilga, um jato sucateado, transformado em algo que desse para prosseguir vôo. O comodismo não permitiu que o novo presidente saísse da zona de conforto. Espero que os que nos representam – torcida – lá no Rio possam se manifestar, com o sem o aval das organizadas.

    Beijos. E é a mais pura verdade quando digo que me orgulho da torcedora que você se tornou. Estaremos no PV.

  2. fernando brauner

    futebol nunca é arte

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s